sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Amar, dar espaço e confiar....

Eu amava-te, eu dei-te espaço, eu confiava!
O não ter condições de tomar decisões, num determinado momento, não significa que não te amasse. Amar também é um ato de responsabilidade, o amor verdadeiro exige responsabilidade. Deixamos de ser responsáveis apenas pela nossa vida e tornamo-nos responsáveis por a vida do outro. E esta é a melhor responsabilidade que se pode ter! Apenas, e por um conjunto de circunstâncias (algumas que sabes), não tinha a minha vida orientada para te dar tudo o que queria dar, e te poder acolher no meu meio, porque no meu mundo já estavas! Nada mais que isso! Amar não significa aliar-se do que nos rodeia, amar também é ter capacidade de procurar o momento para acolher e simplesmente te poderes entregar.
Eu confiei em ti e confiei no tempo! Confiei que com o tempo estávamos a traçar nosso destino na certeza que o momento iria chegar, e mais rápido que alguma vez imaginavas!
Eu confiei em ti, porque pensava que estava claro o meu sentimento por ti e acreditava que era forte!
Eu esperava por teu sinal para dar um salto aí…nunca ouvi esse sinal.
Eu esperava por teu sinal para dares um salto aqui…nunca ouvi esse sinal…a mensagem era justamente a contraria! Mas eu confiava, eu dava-te espaço! Viste tudo ao contrário...e face as duvidas, que parece que tinhas, nunca te abriste comigo! Eu que confiava em ti!
Duas pessoas sentem o mesmo sentimento de forma diferente, mas não se pode esperar…ficar a espera que a dúvida nos invada! A duvida destrói! Parece que interpretavas minhas atitudes de forma contraditória, mas face a isso…preferiste não esclarecer nem ir à luta! Desististe! Desististe de mim e desististe de ti!
Viver é lutar, falar de forma aberta quando se tem duvidas, procurar pontos de encontro, e não deixar que entre e aumente a dúvida. Quando não se sabe viver com ela, temos de falar. Se não temos a capacidade de nos abrir com quem amamos, com quem nos abrimos?
Viver não é simplesmente seguir em frente! Isso é fugir! Amar é lutar.
Quando me disseste o que sentias, compreendi a confusão que para aí ia….e fiz o que faz quem ama! Fui atrás, fui á luta, apenas para alinhar o meu sentimento que pensava que também era o teu…
E tu já me tinhas metido dentro de uma redoma de vidro….já não estava em ti! Que raio de amor é esse que nem uma oportunidade te dás?
Como se pode arrumar assim um sentimento de forma tão rápida? Que raio de sentimento é esse?
Quem ama e não se dá uma oportunidade sincera e verdadeira….corre o risco de não ter outra oportunidade. Não tentaste…
Viver não é viajar no primeiro comboio que nos aparece pela frente sem saber o destino….para quando nos damos conta para onde vai, sair na próxima estação.
Viver é ter a capacidade de apanhar o comboio certo…e tudo começa por ter bem definido o destino! É necessário saber esperar. 
Quem não tem isso presente, nunca vai chegar e perde-se de estação em estação!

Dei-te e dei-me...sabias a importância que dava ao confiar. Foi das nossas primeiras conversas...e tu decidiste, atacando-me, jogando-me para o lado, da única forma que não podias ter feito. Pela confiança!

sábado, 3 de outubro de 2015

Meus medos

Trago, em mim, a ansiedade de te querer tanto e o medo gélido de falhar. De não conseguir estar quando necessitas. De não saber ser quem precisas que seja. Medo de te amar tanto, tanto, que a vertigem do amor me chegue a desequilibrar - e me atire ao chão.
...
Sou eu. E estou aqui, assim: Tão forte e, simultaneamente, tão, tão vulnerável
...

Laura Almeida Azevedo

Amo-te JMF

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Sentir estranho...

Hoje foste fazer não sei o quê por causa de um gato….com um tal Pedro!
Senti uma coisa estranha dentro de mim que não sei explicar.

Vou à varanda, olho o céu em tua direcção e desvio meu olhar e pensamento para ti…confio em ti!